domingo, 28 de agosto de 2011

A MULHER E O DIREITO DE VOTO

28 de AGOSTO     

1920 - O direito de voto da mulher é reconhecido nos Estados Unidos
A luta dos trabalhadores teve seu início no sé XIX, com principal ênfase nas melhores de trabalho e o direito à cidadania. A principal conquista dessa classe foi o Sufrágio Universal , onde NÃO incluía o Sufrágio feminino. O Sufrágio feminino foi uma luta onde abrangeu cerca de dois milhões de mulheres de todas as classes. Foi o movimento político de maior significado do século XX . Este movimento teve seu início através da Convenção dos Direitos das Mulheres em 1848. Depois de muitas batalhas, somente no dia 28 de agosto de 1920 foi concedido o voto ás mulheres, ficando assim concluída uma lutga de 72 anos.
(fonte: http://pardieirosonline.blogspot.com/)

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

11 de agosto - Dia do Estudante

Considerando que é direito de todo e qualquer  indivíduo nascer e viver  livre, não se concebendo, portanto, pressões e julgamentos seja pela posição social, maneira de pensar, vestir, raça, classe econômica, opção religiosa ou sexual, ...por que, então,  ainda até   hoje aceitamos e repassamos certos valores como:
ESCOLA DA REDE PÚBLICA  é para criança pobre? 
Isso é DISCRIMINAÇÃO !
Hoje é dia da  criança, do jovem  ou do  adulto que frequenta uma instituição de ensino.
Parabéns para você, ESTUDANTE!  Seja da rede pública ou particular...

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Menos DISCRIMINAÇÃO! Menos VIOLÊNCIA!


(créditos da imagem: Internet)

A Convenção Internacional Sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial, de 1966, diz que discriminação é: "Qualquer distinção, exclusão, restrição ou preferência baseada em raça, de origem nacional que tenha o propósito ou o efeito de prejudicar o reconhecimento, exercício em pé de igualdade de direitos humanos e liberdades fundamentais nos campos político, econômico, social e cultural." 

... 1966... 2011 ...

“Na escola meu apelido era "negão", embora eu não tenha a belíssima pele negra. Me chamavam assim simplesmente por ser o menino mais escuro da sala. Na época não via isso como um sinal de discriminação e ainda não vejo. Gosto de conservar a inocência do pensamento "não o faziam com maldade e sim com afeto".  É claro que eu cansei de ouvir piadas sobre isso, racistas até, quem nunca ouviu? Tolerei as piadas até um ponto em que percebi que a tolerância, em alguns casos, incentiva o crime. Com uma briga, da qual não me orgulho, levei ao chão o piadista e todas as chacotas. Depois disso, nunca mais me importunaram.”(Rodrigo - http://inblogs.com.br/censurado )